quinta-feira, 28 de junho de 2018

Durante apagão, presos são flagrados fazendo buraco em cela para tentar fugir em Cruzeiro do Sul

Por Portal do Juruá
Durante um apagão no presídio Manoel Neri, em Cruzeiro do Sul, oito presos foram flagrados fazendo um buraco na cela para fugir da unidade no domingo (24). De acordo com a direção, presos do pavilhão E iniciaram gritaria, relatando que a energia do pavilhão tinha dado pane.
Ao menos oito presos tentavam fugir de cela em unidade de Cruzeiro do Sul (Foto: Divulgação/Iapen-AC)
A equipe de agentes do Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen), que estavam de plantão, foi tentar solucionar o problema, percebeu movimentação estranha e acionou a direção. Após algum tempo, os agentes descobriram um buraco em uma cela.

Saulo Santos, diretor da unidade, agentes de folga foram acionados para evitar fuga. “Os agentes perceberam movimentação estranha dentro do pavilhão e outra movimentação em cima da lage do prédio. A equipe composta de 8 agentes, recuou e comunicou o fato a direção, que, junto com a coordenação de segurança, fez a convocação dos agentes que estavam de folga”, conta.

Na cela, segundo o diretor, tinha um buraco aberto e toda uma estrutura para os presos que estavam no local. “O portão da cela estava trancado, mas sabemos que eles têm métodos para abrir cadeados, que poderia desencadear numa fuga em massa de presos”, explica.

O diretor informou que os presos foram retirados da cela e colocados em isolamento cautelar preventivo até posterior apuração dos fatos e devem cumprir sanção disciplinar por 10 dias.

Santos disse ainda que o apagão foi intencional e que os presos possivelmente tentariam fazer reféns. O problema de energia foi resolvido ainda na segunda (25) pela manhã.
Com informações do G1 Acre

PORTAL DO JURUÁ - Noticias e informações de Cruzeiro do Sul, Juruá e do Acre, sempre com imparcialidade e o compromisso da verdade.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do PORTAL DO JURUÁ;