sábado, 24 de março de 2018

Agente penitenciário suspeito de fornece armas para presos em rebelião é absolvido em Juri popular

Por Portal do Juruá
Parentes e amigos acompanharam o julgamento do agente penitenciário que foi absolvido nesta sexta (23) (Foto: Aline Nascimento/G1)
O agente penitenciário Leandro Ferreira Gomes, suspeito fornecer armas para presos durante uma rebelião no Presídio Francisco d’Oliveira Conde (FOC), em 2016, foi absolvido durante júri popular na 2ª Vara do Tribunal do Júri do Acre, na Cidade da Justiça, nesta sexta-feira (23). Os outros quatro réus, julgados juntos com Gomes, também foram absolvidos. Eles respondiam por tentativa de homicídio duplamente qualificado.

A informação foi confirmada ao G1 pelo advogado de defesa do carcereiro, Wellington Silva. Segundo ele, a defesa demonstrou, através de uma série de documentos, que o processo tinha falta de provas, perícia e não havia consistência nos materiais apresentados.

“A gente mostrou que não havia prova nenhuma de que ele praticou o fato [entrega da arma] e nem de que o fato existisse. Não houve materialidade e nem autoria.

Gomes era acusado de tentativa de homicídio contra três presos. Ele trabalha, segundo o advogado, como agente desde 2008 e antes disso era policial temporário dentro da unidade penitenciária.

Silva afirma que o processo está encerrado e que o alvará de soltura do agente já foi expedido pelo juiz e Gomes vai ser solto ainda nesta sexta (23).

“São dois quesitos votados pelos jurados. Primeiro é perguntado se o fato teria ocorrido, se as vítimas realmente foram atingidas por disparos e nessa fase já disseram que não e nem se seguiu as outras notações. Se ele realmente entregou a arma não chegou nem a ser examinado, pois antes os jurados já entenderam que não, as vítimas não teriam sofrido nenhum tipo de ameaça ou violência”, destaca.
Por G1 Acre

PORTAL DO JURUÁ - Noticias e informações de Cruzeiro do Sul, Juruá e do Acre, sempre com imparcialidade e o compromisso da verdade.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do PORTAL DO JURUÁ;