quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Comissão do MEC avalia implantação do curso de medicina por universidade particular em Cruzeiro do Sul

Por Portal do Juruá
Faculdade de medicina deve ser implantada em Cruzeiro do Sul (Foto: Anny Barbosa/G1)
O Ministério da Educação e Cultura (MEC) está em Cruzeiro do Sul para a segunda etapa do processo para implementação do curso particular de medicina no município. A cidade passou em um edital promovido pelo MEC.

Rosana Leite, que está avaliando a regularização do MEC, disse que o sistema de saúde vai passar por uma avaliação para saber se é adequado para a implantação do curso.

"A cidade aderiu ao edital, passou no edital, e agora está na segunda fase. É uma avaliação de toda a estrutura física da cidade e, então, a avaliação das escolas", disse.

Após essa segunda parte, a terceira é a avaliação das possíveis universidade particulares que se interessem em trazer o curso. "A terceira e última fase é das escolas que querem vim ver as estruturas e, enfim, tudo para que possa haver esse curso na cidade", afirmou.

A avaliadora estava em reunião com a prefeitura, na manhã desta quarta-feira (31), e deve visitar hospitais, unidades de saúde, maternidade e demais órgãos ligados à saúde.

O prefeito do município, Ilderlei Cordeiro, disse que a prefeitura não está medindo esforços para trazer o curso. "Estamos muito felizes e queremos que logo esse curso seja implantado para que médicos possam se formar na cidade", afirmou.

A prefeitura participou em 2017 de um edital do Mec para implementar o curso de medicina de forma privada na cidade e foi selecionada. Ainda não há previsão da implementação do curso na esfera pública. Em um levantamento feito pelo MEC, a mensalidade de faculdades de medicina varia de R$ 6 a R$ 12 mil no Brasil.
Por Anny Barbosa, G1 AC

PORTAL DO JURUÁ Noticias e informações de Cruzeiro do Sul, Juruá e do Acre, sempre com imparcialidade e o compromisso da verdade.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do PORTAL DO JURUÁ;