terça-feira, 22 de agosto de 2017

TFD nega passagem à menina de 2 anos e pai recorre ao MP em Cruzeiro do Sul

Por Portal do Juruá
Uma malformação congênita fez com que a pequena Ester Freitas, de 2 anos, nascesse sem um pedaço da perna e o pé direito. Ela foi encaminhada pelo Tratamento Fora de Domicílio (TFD) duas vezes para o Hospital Sara Kubitschek em Brasília (DF) e teria uma nova consulta nesta quinta-feira (17), segundo a família. Porém, o TFD negou passagem à menina, o que impediu a viagem.
Menina precisa trocar prótese e TFD negou passagem (Foto: Anny Barbosa/G1 )
Para tentar reverter a situação, o pai da menina, Josenildo da Silva Freitas, entrou com ação no Ministério Público em Cruzeiro do Sul, à procura de ajuda. A pequena nasceu prematura de sete meses de gestação e precisa substituir a prótese que a ajuda a andar.

Gontran Neto, coordenador regional de Saúde, diz que encaminhamento da criança tem que seguir rotina.

Porém, o pai rebate e diz que a prótese precisa ser trocada a cada seis meses. Ele diz ainda que o pedido foi indeferido um dia antes da consulta marcada no DF.

“Demos entrada no TFD em dezembro de 2016. Fizemos o agendamento no Sara, só que quando procurei o órgão aqui não souberam me explicar. Na quarta-feira [16] me informaram que o pedido de TFD foi indeferido. Não me explicaram o motivo do indeferimento. Dizem que vão levar ela para Rio Branco para uma consulta”, conta o pai.

Freitas diz ainda que a filha anda de joelhos e que a prótese não é feita na capital. “Ela sente dores quando colocamos a prótese, fica o tempo todo no chão ou andando de joelho. Decidi entrar com uma ação no Ministério Público para ver se alguma autoridade tem bom senso e livra minha família dessa dificuldade”, reclama.

A assessoria da Promotoria da Infância a Juventude confirmou que o pai deu entrada com uma ação, que foi enviada ao TFD solicitando informações e estão aguardando resposta para decidir se vão ou não entrar com uma ação judicial.

“Sou solidário com a família. Essa criança já teve alta do Tratamento Fora de Domicílio fora do estado. Hoje temos cirurgião plástico em Rio Branco que vai fazer a avaliação dela. Caso seja necessário o encaminhamento dela para Brasília, ela vai ser encaminhada. Nos foi repassado que a criança será encaminhada para Rio Branco dia 30 e será atendida pelo profissional, conforme a avaliação será regulada e continuará o tratamento fora do Acre”, garante Neto.
Saúde garante que menina deve passar por avaliação (Foto: Anny Barbosa/G1 )
Com informações do G1 Acre

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do PORTAL DO JURUÁ;