domingo, 6 de agosto de 2017

Incêndio de 12 horas em área militar destrói mais de 20 hectares e é um dos maiores registrados em Cruzeiro do Sul;

Por Portal do Juruá
Um incêndio florestal ocasionado durante um treinamento militar na área do 61º Batalhão de Infantaria de Selva (BIS) já é um dos maiores registrados em Cruzeiro do Sul, segundo o Corpo de Bombeiros. O fogo iniciou na manhã de sexta-feira (4) e só foi contido 12 horas depois com uma força-tarefa montada por 63 homens.
Incêndio de 12 horas em área militar destrói mais de 20 hectares e é um dos maiores registrados em Cruzeiro do Sul
Fogo só foi controlado 12 horas depois em área militar em Cruzeiro do Sul (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros )
A operação contou equipes da Infraero, Corpo de Bombeiros e Exército. A preocupação era conter as chamas para que a área operacional do aeroporto de Cruzeiro do Sul, que fica próximo ao local incendiado, não fosse atingida e prejudicasse o funcionamento do local.

Em boletim, o Corpo de Bombeiros informou que foram utilizados 60 mil litros de água. Ainda segundo comandante da corporação, Rômulo Barros, mais de 20 hectares de terra foram destruídos.

“Estamos há quase 35 dias sem ter chuva, então a vegetação está muito seca e é uma pólvora. Essa vegetação foi muito favorável para a propagação rápida e teve uma hora que passou para mata alta e apagar incêndio florestal em copa de árvore é terrível”, disse barros.

O incêndio é um dos maiores registrados na cidade, mas, o comandante diz que a logística e o apoio de todos fez com que as chamas fossem contidas e não prejudicassem o aeroporto.

“Um ponto positivo foi a logística. Tínhamos mais de 60 homens na operação e tínhamos um reservatório de água natural, que é um igarapé que eles têm lá, e as vias de acesso, onde a gente entrava, tinha como controlar os focos de calor, mas, mesmo assim, foi uma complexidade grande”, destaca. Via G1 Acre

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do PORTAL DO JURUÁ;