quarta-feira, 26 de julho de 2017

Considerado um dos piores governo da historia, Temer é reprovado por 94% dos brasileiros;

Por Portal do Juruá
O presidente Michel Temer é desaprovado por noventa e quatro por cento dos brasileiros, de acordo com a pesquisa Pulso Brasil, realizada mensalmente pela Ipsos Public Affairs desde 2005.
Considerado um dos piores governo da historia, Temer é reprovado por 94% dos brasileiros;
Governo Temer é considerado um dos piores da historia (Foto: Lula Marques / Agência PT)
Apenas 3% aprova pouco ou totalmente a atuação de Michel Temer. Foram entrevistadas entre o dia 1º e 14 de julho, 1200 pessoas de 72 municípios brasileiros em todas as cinco regiões do país. 

A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa também aponta que 95% dos brasileiros acreditam que o Brasil está no rumo errado. 

Cerca de 85% da população avalia a gestão de Temer como ruim ou péssima. Essa é a pior avaliação desde abril de 2015, quando a série começou a ser feita. "O levantamento confirma os altos índices de desaprovação do governo federal e do presidente Michel Temer. 

Identificamos que os efeitos da crise política e da delação premiada de Joesley Batista ainda se mantêm. Esse quadro tende a se manter nos próximos meses com a pauta do aumento de impostos e dos combustíveis", comenta Danilo Cersosimo, diretor da Ipsos Public Affairs, responsável pelo Pulso Brasil. 

A segunda personalidade que é mais desaprovada é o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) teve 93% de reprovação contra apenas 1% de aprovação. Em terceiro lugar está o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que teve 3% de aprovação contra 90% de reprovação. 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aparece com 68% de desaprovação. Jair Bolsonaro aparece com 53%. Joaquim Barbosa e Sérgio Moro foram desaprovados por 33% e 28%, respectivamente.

Da redação do Portal do Juruá com informações BN

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do PORTAL DO JURUÁ;