terça-feira, 4 de julho de 2017

Após ser apreendido em Cruzeiro do Sul, menor pede droga de volta para delegado

Por Portal do Juruá
Após uma denúncia, policiais militares de Cruzeiro do Sul conduziu à delegacia Emisson Brito da Silva, de 22 anos, e o irmão dele, que tem 15 anos. A apreensão ocorreu por volta das 22h desta sexta-feira (30). Os jovens são acusados de estarem comercializando drogas dentro de um circo, segundo a polícia.

Com a dupla a polícia encontrou uma carteira de cigarro com sete trouxinhas de uma substância supostamente de pasta base de cocaína.

Na delegacia, os jovens confessaram ao delegado Alexnaldo Batista que são usuários e que a droga seria para consumo deles. Ao serem liberados, o adolescente de 15 anos, chegou a pedir ao delegado a droga de volta, alegando que havia custado muito dinheiro.

“A polícia recebeu denúncia da comunidade de que vários jovens estariam vendendo drogas nas imediações de um circo. Vamos apurar a situação para que o maior responda pela suposta comercialização. O menor foi entregue ao responsável”, disse o delegado.

Para Batista, o fato de um menor de 15 anos ser dependente químico mostra a fragilidade da família. “Isso é por causa da dependência química. Estava em abstinência muito alta. Devia está desesperado para usar a droga. Isso é uma falta de discernimento e mostra o quanto estão fragilizadas as nossas famílias. Você vê um adolescente de 15 anos dependente químico dessa natureza, ao ponto de pedir para liberar a droga”, lamentou.

Silva disse que a polícia confundiu ele e o irmão com algum traficante e que a droga seria para o consumo dos irmãos. “Eu estava voltando da casa de uma garota que tem um filho meu. Quando estava retornando a polícia nos abordou. Meu irmão estava com a droga para nosso uso. Não vendo drogas, apenas uso. Eu e meu irmão, só que a polícia acabou nos confundindo com alguém”, defendeu-se. Via G1

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do PORTAL DO JURUÁ;