domingo, 1 de junho de 2014

Cientistas dizem que teletransporte é possível (acabou a desculpa do atraso)

Por Portal do Juruá
"Star Trek" tinha teletransportadores dentro das naves. Uma das frases mais conhecidas do Capitão Kirk é justamente o comando do teletransporte: 'Leve-me para cima, Scotty'Teletransportar objetos e pessoas é um sonho muito bem retratado por Hollywood (quem não se lembra de Capitão Kirk e Spock fazendo viagens interestelares, direto da Enterprise para algum planeta muito louco?). Pois agora cientistas holandeses dizem que o teletransporte é, sim, possível. Ou seja, no futuro (ainda bem distante, cara!) você não vai mais poder dar a desculpa do "me atrasei".
Os cientistas da Universidade deTecnologia Delft conseguiram teletransportar um átomo por três metros com 100% de precisão --o estudo foi publicado nesta semana na revista "Science".

"O que estamos fazendo é transportar um 'estado' de uma partícula", explica o professor Ronald Hanson. "Se você acredita que não somos nada mais do que uma coleção de átomos amarrados juntos em uma forma particular, então em princípio deve ser possível nos teletransportar de um lugar para outro", disse.
Hanson prossegue dizendo que "nunca diria nunca" a respeito da possibilidade do teletransporte de coisas maiores que átomos.
No experimento, os cientistas usaram três partículas entrelaçadas –um átomo de nitrogênio trancado em um cristal de diamante e dois elétrons.
Quatro "estados" foram transmitidos, cada um equivalente a um bit quântico (unidade de informação quântica), o equivalente digital ao bit. O bit clássico (o digital) pode ter o valor de zero ou um. Já o bit quântico pode carregar simultaneamente os dois valores.
Não captou? Na prática, isso significa que poderão ser criados sistemas de computação mais rápidos e até redes de comunicação impenetráveis por hackers. E que Einstein estava errado (sorry, Albert!). (Com Daily Mail e NYT)

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do PORTAL DO JURUÁ;